Campinas pode voltar a fase vermelha do Plano SP

 Campinas pode voltar a fase vermelha do Plano SP

O governo paulista não confirmou, mas deixou em aberto a possibilidade da região de Campinas regredir no Plano São Paulo nesta sexta-feira, 03. Desde que o plano de reabertura econômica foi adotado no estado, a região permanece na fase laranja, o que permite a retomada com restrição de parte do comércio não essencial. Porém, com a reabertura do comércio em Campinas, uma multidão tomou as ruas, principalmente no calçadão da Rua 13 de Maio.

Após esse período, o número de casos e mortes por covid-19 cresceu na cidade e também na região, e fez com que algumas cidades fechassem novamente os estabelecimentos que prestam serviços não essenciais. Nesta quinta-feira, 02, o colunista do Jornal O Globo, Lauro Jardim, informou que o governo de São Paulo vai mudar a recomendação sobre a região de Campinas, que vai passar da fase laranja para a vermelha, já nesta sexta-feira. Nas últimas semanas, os secretários e o próprio governador João Doria, vêm dando alertas sobre a situação preocupante da RMC em relação à pandemia.

Sem entrar em detalhes sobre uma suposta regressão da região de Campinas, a secretária de desenvolvimento econômico do estado, Patrícia Ellen, defendeu os critérios adotados para a classificação das regiões no plano, mesmo que isso venha a frustrar os gestores municipais. “Os dados são completamente transparentes e os critérios são divulgados. E entendemos que isso possa causar frustrações nas regiões. É comum que muitos prefeitos passem informações e dados para a gente, de fontes municipais, de dados do dia. Nós não podemos usar essas informações. Nós temos que usar informações das fontes oficiais, que estão inclusive detalhadas no decreto do plano São Paulo. E é por esse caminho e esse meio, de forma completamente transparente que nós estamos fazendo todos os cálculos e classificações”, afirmou.

O plano São Paulo sofrerá uma alteração na fase laranja. Atualmente, os municípios que se encontram nesta etapa, podem ter o comércio não essencial funcionando em horário restrito, por quatro horas diárias. A partir de agora, essas cidades poderão escolher entre permanecer deste modo ou funcionado por seis horas durante quatro dias da semana. A secretária de desenvolvimento econômico de São Paulo, Patrícia Ellen, disse que deste modo, os municípios poderão se planejar melhor com as opções de funcionamento do comércio e preservando as medidas de segurança da saúde pública. “O ponto que o Centro de Contingência colocou como opcional, seria o funcionamento por seis horas, durante quatro dias uteis. Operando quatro dias, fechando três dias, com funcionamento de seis horas, para que isso viabilize um melhor funcionamento do comércio e também garantindo a segurança de um aspecto de saúde”, disse.

Ainda de acordo com o colunista Lauro Jardim, o governo paulista também vai anunciar que a capital São Paulo deverá atingir o platô na curva da covid-19 na semana que vem. O platô acontece quando a doença deixa de crescer o número de contaminados e mortos por um período mais longo e se estabiliza até o início da queda. Em relação à Baixada Santista, que reivindica a progressão para a fase amarela do plano, o governo já adiantou que isso não vai acontecer nesta semana.

Fonte: CBN

Raphaela Vitiello

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.