Metade dos pais relata conflitos por causa da forma como avós tratam os netos

 Metade dos pais relata conflitos por causa da forma como avós tratam os netos

Regras de disciplina, o que comer nas refeições e a hora de dormir são alguns dos fatores que mais causam estresse

Um ditado antigo diz que “avó é mãe com açúcar”. Em se tratando de netos, somos bem mais flexíveis do que costumávamos ser com os filhos. Difícil dizer “não” e os danadinhos descobrem isso com rapidez impressionante. Em algumas famílias, os pais fazem vista grossa para eventuais excessos, ainda mais se eles se concentram nos fins de semana. No entanto, muitos se incomodam quando suas determinações – principalmente relacionadas à alimentação – não são seguidas à risca, e a situação pode ficar tensa se os avós costumam cuidar das crianças com frequência.

A Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, decidiu medir a extensão dos embates e descobriu que metade dos pais entra em confronto com pelo menos um dos avós por causa da forma como os netos são tratados. Um em cada sete chega a limitar o tempo que as crianças podem ficar com o vovô ou vovó que não obedece à cartilha. A pesquisa, nacional, foi baseada nas respostas de mais de 2 mil pessoas com filhos de até 18 anos de idade. As disputas mais comuns envolvem: disciplina (57%), refeições (44%) e tempo de consumo de TV (36%). O curioso é que, no quesito disciplina, 40% dizem que os avós são condescendentes demais, enquanto 14% consideram que são duros. Outras questões espinhosas: boas maneiras, segurança, hora de ir dormir, demonstração explícita de preferência por um neto e divulgar fotos ou informações da gurizada em redes sociais.

“Avós desempenham um papel especial na vida das crianças e, quando tomam conta delas, podem ser um apoio importante para os casais. Entretanto, quando têm ideias diferentes sobre a criação e interferem nas escolhas e diretrizes dos pais, cria-se uma fonte de tensão no relacionamento. Os pais sentem que sua autoridade está sendo minada”, afirmou Sarah Clark, codiretora do Hospital Infantil C.S. Mott, ligado à universidade. Ainda de acordo com a pesquisa, cerca de 50% dos avós se dispõem a mudar seu comportamento para se adequar às exigências, enquanto 17% relutam em seguir as regras estabelecidas, aumentando o estresse – são esses os que mais frequentemente são “punidos” com menos tempo com os netos. “Quando há muitos desentendimentos, o ambiente provoca um impacto negativo nas crianças, o que mostra que os avós devem tentar se adaptar. Esse esforço faz parte do apoio que podem dar a seus filhos”, acrescentou Clark.

Fonte: G1- Bem estar

Raphaela Vitiello

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.