Viajar com animal de estimação requer treinamento prévio; confira dicas

 Viajar com animal de estimação requer treinamento prévio; confira dicas

Viajar com animal de estimação requer treinamento prévio; confira dicas

Cães e gatos devem ser acostumados paulatinamente à rotina da viagem futura;

Autor(a): Redação

Cada pet tem sua característica comportamental e esse item deve ser levado em consideração quando eles vão viajar de avião para acompanhar seus tutores.

Gatos e cães, por exemplo, têm comportamentos gerais comuns de acordo com as espécies. Mas é importante destacar que cada animal possui peculiaridades próprias. Alguns são mais medrosos e ficam acuados para viajar, outros se impõem mais em situações de estresse. Existem aqueles animais de estimação que possuem comportamentos de ansiedade quando se separam dos tutores em viagens, outros que podem latir e ficar mais agitados em locais diferentes aos habituais.

Daí que é importante planejar uma viagem com um animal de estimação buscando adaptá-lo ao contexto da viagem, ou seja, que o dono do pet e seu mascote poderão ficar por algumas horas separados durante o voo. Existem casos em que o próprio tutor pode estimular ou então contratar um profissional de comportamento animal para isso.

Dentro dessa simulação, devem ser consideradas duas situações: quando os pets vão viajar no porão e passar muitas horas dentro da caixa de transporte, ou quando irão na cabine e terão o contato com muitas pessoas diferentes. Para cada caso será necessária uma abordagem diferente e esperado um comportamento específico do pet. Observação e treinamento do comportamento do seu filhote é de extrema importância porque poderão ajudar a dosar o estresse do animal durante a viagem.

Ruídos, passeios e “dieta”

Há casos em que cães e gatos que tem o costume de emitir ruídos (latidos, miados, rosnadas, uivos, etc) durante o voo podem incomodar os outros passageiros. E os tutores precisam ter em mente que esses comportamentos precisam ser controlados.

Adestradores são uma ótima opção pois tem a experiência necessária para treinar o animal para evitar uma situação indesejada.  O importante a se pensar é que para uma viagem tranquila a todos, seu pet não pode incomodar ninguém durante o percurso. Ou seja, quanto mais acostumado e tranquilo ele estiver melhor para todos. 

Outro fator importante é a higiene do animal. Uma dica interessante para cães é dar um passeio com o pet antes de sair de casa e ao chegar para o check in. Esta prática estimula o animal a urinar e defecar antes da viagem. Também é interessante que o animal de estimação esteja em jejum prévio para evitar “acidentes” dentro do aeroporto ou aeronave. Além disso, o exercício contribui para que o pet se sinta mais cansado e menos ansioso. Com isso, a viagem se torna uma oportunidade de descanso e boa para dormir. 

Já para os gatos, um jejum alimentar principalmente e uma redução na disponibilidade de água horas antes do início de viajar é extremamente indicado. Estimulá-los com brincadeiras pode ser uma opção também, para “queimar energia”. Felinos, por serem mais sistemáticos, tendem a não fazer as necessidades em locais que não sejam o que estão acostumados. Daí que este “inconveniente” não é tão relatado pelos tutores viajantes.

Para ambas as espécies de animais, dar banho 1 a 2 dias antes da viagem é extremamente eficaz. Os pets não podem estar com odores fortes e desagradáveis, correndo o risco de não serem aceitos no check in.

A adaptação à caixa de transporte e ao movimento do carro com pequenos passeios anteriores a uma grande viagem são algumas situações que podemos induzir os animais de estimação a experimentar para acostumá-los. Outro fator a ser considerado é a higiene da caixa no momento do embarque. Caso seu pet tenha feito necessidades na caixa antes do check in, esta deve ser higienizada e estar completamente limpa quando apresentada no balcão. Se não estiver, o tutor corre o risco de ter seu embarque negado pela companhia aérea.

Lembre-se sempre: sua viagem será prazerosa, feliz e bem-sucedida se todos os participantes estiverem confortáveis e seguros neste momento. Para isso, comportamentos desagradáveis devem ser evitados e a melhor forma de isto acontecer é “treinar” as situações e corrigir o comportamento do pet antes de viajar.

Crédito Fonte e Foto: IG

tangerina

Autor Tangerina MKT

Related post