VOCÊ ESTÁ DOENTE E PRECISA DO SUS?

 VOCÊ ESTÁ DOENTE E PRECISA DO SUS?

A verdade sobre a “via crucis” da saúde em Indaiatuba

Desde muito jovem eu ouço os políticos tradicionais da cidade repetir as belezas e as vantagens de se viver em Indaiatuba. A Educação nota 10, a infraestrutura exemplar, a Segurança que funciona e a qualidade da Saúde que ultrapassa a média de outras cidades da Região de Campinas.

Confesso que sempre acreditei nesse discurso da Saúde de qualidade, talvez porque nunca tenha precisado dela. Mas precisei ser vereador para descobrir a maquiagem que Indaiatuba usa, convenientemente aplicada por seguidos políticos legisladores e gestores do dinheiro púbico.

A Secretaria da Saúde com a anuência e o conhecimento do prefeito, divulga diariamente através de suas mídias “parceiras” e seus próprios canais de contato com a população, que tudo vai bem, que consultas e procedimentos estão sendo realizados com sucesso e precisão, e que em Indaiatuba não há quem não tenha acesso aos atendimentos prestados pelo SUS na rede municipal.

Com uma arrecadação alta em impostos, a prefeitura sustenta que um único hospital – meio público, meio privado -, com meia dúzia de UBSs e uma UPA, dá conta de atender a demanda de aproximadamente 230 mil indaiatubanos. Também sustenta que há médicos suficientes em todos os postos de atendimento aptos a atender qualquer especialidade, além de um atendimento médico de família. E que a população vai muito bem obrigada… Até hoje.

Nos últimos meses, a pandemia colocou essa falsa estrutura de Saúde montada pelos políticos da situação à prova, colocando em xeque não só uma infraestrutura ineficiente como uma gestão de planejamento e recursos equivocada que dependente, para atendimentos complexos, de hospitais de referência de outras cidades, como Campinas, São Paulo, Jundiaí, Bragança e até Bauru.

Cabe ao prefeito não só conhecer como administrar a sua própria demanda. Uma pesquisa rápida no portal da Prefeitura de Indaiatuba, na pasta de Saúde revela um pouco mais do que esses dados “cor de rosa” que sustentam a política local e que vieram à tona com a incompetência do Executivo, revelada pela pandemia. No “vai que eu troco” ou “toma lá da cá” político, vereadores da situação trabalham seus favores, médicos e funcionários públicos tem sua fila de pacientes “particular”, enquanto nas diversas especialidades os doentes são relegados à própria sorte.

Na fila da Oftalmologia, por exemplo, desde 2018, 6.598 pessoas aguardam atendimento médico. Um procedimento simples, como um Eletrocardiograma, conta com 1.791 pessoas esperando numa fila interminável desde março de 2019 para ser realizado. Ou seja, muitos morreram ou morrerão na fila se não tiverem uma mãozinha de quem interceda por um socorro mais eficiente.

Numa cidade “rica”, considerada por anos seguidos a melhor do Brasil, convenhamos, qual é a real dificuldade de se pagar mais médicos e ter um hospital que dê conta dos males da população? Pedágio? Propina? Ineficiência de gestão, condicionamento político das massas, já que muitos criam dificuldades para vender facilidades? Ou seria mesmo incompetência pura? Vamos aos números da Secretaria de Saúde para comprovarmos essa denúncia:

*As especialidades e os procedimentos mais demorados na rede *Considerando desde o primeiro da lista de espera *P1- urgente / P2 – média urgência / P3 – rotina

Não! Não se pode dizer que a Saúde de Indaiatuba é das piores do País, porque no dia a dia dos postos e hospitais, o cidadão tem recebido atenção e orientação, na maioria das vezes com bons funcionários públicos treinados para remediar com pequenos serviços e orientação uma situação que pode estar perto do caos. Além disso, casos de doenças graves como câncer de mama ou próstata, e procedimentos como diálise, por exemplo, que necessitam de urgência no atendimento tem sido transferido para Campinas. Mas o fato é que a situação da Saúde na cidade é grave e não surpreendeu as autoridades quando agravada pela pandemia.

Contudo, a situação da Saúde só prova que Indaiatuba está precisando urgente de um olhar mais voltado para o povo. O CIDADÃO MERECE UMA INDAIATUBA SUA DE VERDADE e não de um grupo que tem comercializado território e multiplicado vantagens individuais.

Edvaldo da Hot Flowers – Vereador e empresário

Raphaela Vitiello

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *